Pesquisa CNPQ

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

O projeto intitulado Associação dos Padrões Salivares com Sinais e Sintomas Bucais e Sistêmicos em Idosos, desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB), foi o único projeto odontológico da Região Centro-Oeste a ser recentemente aprovado pelo CNPQ. A Dra Ana Cristina Barreto Bezerra é a pesquisadora responsável pelo projeto. As Dras Denise Falcão e Soraya Coelho Leal, da Clínica Humanus, fazem parte da equipe de pesquisadores também composta por outros profissionais das áreas da Odontologia, Medicina, Bioquímica, Estatística.

A pesquisa será desenvolvida no Centro de Medicina do Idoso (CMI), no Hospital Universitário de Brasília (HUB) da Universidade de Brasília (UnB). O CMI possui cerca de 800 pacientes cadastrados, oferecendo ao idoso tratamento multidisciplinar. O dentista está inserido nesta equipe, através do projeto de extensão (Coordenado pela Profª. Érica Lia) do departamento de Odontologia da UnB.

O projeto em questão apresenta grande relevância científica e social, pois segundo o último censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o número de habitantes com sessenta anos de idade ou mais aumentou duas e meia vezes mais (35%) quando comparada com outras faixas etárias da população brasileira (14%). Estima-se que em 20 anos, o Brasil terá a sexta maior população idosa do mundo.

 

Estudos científicos afirmam que a redução do fluxo e composição salivar atinge 25% da população idosa e que são comuns as queixas de desconforto bucal e sistêmico em decorrência dessas mudanças, principalmente nos paciente que utilizam medicamentos, maioria nesta faixa etária.

 

A saliva é um dos fluidos mais importantes do corpo humano, ela é responsável, dentre outros fatores, pela manutenção da saúde bucal, proteção das mucosas, combate e controle das lesões de cárie, proteção durante a fala, mastigação e deglutição, bem como, auxílio no combate às doenças fúngicas e periodontais.

 

Nos paciente que possuem baixa quantidade/ qualidade de saliva, observa-se ainda maior incidência de distúrbios na percepção gustativa e dificuldade de adaptação de próteses removíveis, o que pode afetar drasticamente a saúde geral do paciente. A alteração gustativa pode provocar falta de apetite ou uso abusivo de sal e/ou açúcar na alimentação. Uma função mastigatória debilitada poderá comprometer o sistema gastrintestinal e prejudicar a absorção de nutrientes.

 

Portanto, a saliva está direta ou indiretamente envolvida na manutenção da integridade da saúde bucal e sistêmica. Assim, há necessidade de se desenvolver terapias que melhorem os padrões salivares para que a saúde e qualidade de vida do idoso não fiquem prejudicadas em decorrência dos desconfortos freqüentemente observados.

 

Para tanto, os objetivos da pesquisa incluem verificar a existência de correlação entre alguns parâmetros salivares e determinados sintomas e sinais bucais e sistêmicos, além de testar modalidades terapêuticas de estimulação de glândulas salivares em pacientes que apresentam baixo fluxo salivar.