Navegação

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Matérias da capa / Revisando seus Conhecimentos

Revisando seus Conhecimentos

Revisando seus Conhecimentos

do site http://anatome.ncl.ac.uk/tutorials/salivary/text/page2

Aspecto lateral da cabeça e pescoço

Nós temos três pares de glândulas salivares principais:

1. Glândula parótida que está sobre o masseter

2. Glândula submandibular que está ao longo da mandíbula e na borda livre do miloióide

3. A menor glândula é a sublingual. Com a sua língua enrolada para trás localiza-se o frênulo central no assoalho da boca. Estas duas glândulas com formato de amêndoa formam uma massa em forma de pata de cavalo ao redor do frênulo.

 

 

A glândula parótida

A glândula parótida secreta saliva na boca através do ducto parotídeo. O ducto passa por cima do músculo masseter, atravessa o músculo bucinador e entra na boca em frente ao segundo molar superior.

Identifique as seguintes estruturas:

1. Ducto parotídeo

2. Masséter

3. Bucinador

A inervação sensorial é feita pelo nervo aurículo-temporal e pelo nervo auricular maior para a fascia parotídea.

 

 

Estruturas ligadas à glândula parótida

Estruturas importantes que estão dentro da glândula parótida, da mais superficial para a mais profunda:

1. Nervo facial CN 7 e seus ramos

2. Veia retromandibular

3. Artéria carótida externa

Os cinco ramos recebem seus nomes de acordo com a área que eles inervam na face:

1. Temporal

2. Zigomático

3. Bucal

4. Mandibular

5. Cervical

 

 

A glândula submandibular

A glândula submandibular, em formato de C, envolve o músculo miloióide. O ducto submandibular segue o assoalho da boca para abrir debaixo da língua em ambos os lados do frênulo lingual.

Importantes estruturas relacionadas com a glândula submandibular são

1. Artéria facial superficialmente

2. Nervo hipoglosso (CN 12) mais profundamente

Quando você rebate a parte superficial da glândula submandibular, você pode ver o nervo hipoglosso, nesse ponto. Relacionado ao nervo está a artéria lingual.

 

Glândulas Salivares

Funções exócrinas das glândulas salivares:

  • Manter a mucosa oral úmida
  • Lubrificar o bolo alimentar
  • Começar a digestão do amido
  • Agir como “lavador bucal” e ajudar na prevenção de cárie

Lembre-se da inervação das glândulas salivares. Secreção glandular é estimulada pela inervação parassimpática (com exceção das glândulas sudoríparas) e isto ainda aumenta a secreção de água para a saliva. A estimulação simpática diminui a secreção salivar e a saliva torna-se mais viscosa.

  • Eventualmente toda a linfa vinda da cabeça e do pescoço drena para os nódulos linfáticos cervicais profundos.
  • Nódulos linfáticos parotídeos estão disseminados por toda a glândula e a fascia parotídea. A linfa drena para baixo da lateral da face e da pálpebra para os nódulos cervicais.
  • A linfa do lábio superior e da lateral do lábio inferior drena para os nódulos submandibulares e desce para os nódulos cervicais profundos.

O nódulo submental drena linfa vinda do mento e da parte central do lábio inferior.

Teste de anatomia básica das glândulas salivares

1. Quais estruturas podem ser lesadas durante a cirurgia para remover um tumor da glândula parótida?

2. Para onde o ducto da glândula parótida drena?

3. Que tipo de radiografia pode mostrar pedras obstruindo a glândula submandibular?

4. Qual efeito o sistema parasimpático tem na produção salivar?

5. O que é xerostomia?

 

 

Aviso Importante: O objetivo destas páginas Web é facilitar a comunicação de informações odontológicas. Em nenhuma circunstância elas devem substituir a atenção por parte de um profissional da saúde.