17. CUIDADOS COM O LIXO

 

A organização de um sistema de manuseio eficiente do lixo começa com a segregação do lixo infecctante daquele que não o é, no local onde é gerado. 

Deve-se classificar como lixo potencialmente infectante, instrumentos afiados como agulhas, lancetas, bisturis ou vidro quebrado contaminado, sangue e fluidos corporais, bem como materiais pesadamente contaminados com eles. 

A destinação do lixo gerado na Faculdade de Odontologia de Bauru, segue as normas da Resolução 15, da SSSP - capítulo XVII, artigos 69 a 75, havendo uma Comissão específica para isso.

  • Os objetos pérfuro-cortantes, tais como agulhas, lâminas de bisturi, brocas, pontas diamantadas, limas endodônticas, devem ser descartados em recipientes vedados, rígidos, e identificados com a simbologia de risco biológico. Após seu fechamento, devem ser acondicionados em saco branco leitoso , preenchido até 2/3 de sua capacidade, para evitar vazamentos. Nunca tentar descartar um objeto pérfuro-cortante, num recipiente cheio demais.

  • Durante o uso, os recipientes para pérfuro-cortantes devem ficar facilmente acessíveis, localizados no local de geração, mantidos sempre na posição vertical.

  • Todo o material descartável, como sugadores, tubetes de anestésico, máscaras, luvas, gazes, algodão etc. deve ser desprezado em sacos de plástico branco e impermeável, com rótulo de "contaminado".

  • O lixo infectante gerado nas clínicas deve ser transportado, em carrinhos fechados, até o local para guarda desses resíduos, onde será mantido em condições perfeitamente higiênicas até ser transportado pelo Serviço de Coleta Seletiva da Prefeitura Municipal de Bauru.

  • Os restos de mercúrio deverão ser mantidos em recipientes rígidos, vedados por tampa rosqueável, contendo água no seu interior e, posteriormente, enviados para usinas de reciclagem.

  • Os resíduos comuns deverão ser embalados em sacos plásticos para lixo doméstico.